Quatro Maneiras Que a Terra é Ajustada Finamente Para a Vida

Print Friendly, PDF & Email

Four Ways the Earth Is Fine-Tuned for Life

A simples aparência de “ajuste fino” em nosso universo é bastante incontroversa entre cientistas e cosmólogos. Até mesmo Paul Davies (que é agnóstico quando se trata da noção de um Designer Divino) prontamente estipula: “Todos concordam que o universo parece ter sido projetado para a vida.” As condições fundacionais, regionais e locacionais de nosso universo, sistema solar e o planeta são delicadamente equilibrados e calibrados com precisão. A menor modificação dessas condições seria desastrosa para a vida. Os delicados requisitos para a existência de galáxias, sistemas estelares e planetas capazes de suportar “observadores inteligentes” são incrivelmente frágeis. Em meu livro, God’s Crime Scene, descrevo a natureza das condições fundacionais, regionais e locacionais no contexto de uma cena de crime que investiguei há muitos anos. As evidências que observei nessas camadas levaram-me a concluir que um suspeito externo havia adulterado a cena para causar uma morte. De um modo semelhante, parece que as condições em camadas do universo foram “adulteradas” para causar o surgimento da vida.

A simples aparência de “ajuste fino” em nosso universo é bastante incontroversa entre cientistas e cosmólogos. Click To Tweet

Nosso pequeno planeta também exibe propriedades locacionais de ajuste fino necessárias para a vida. As condições locais da Terra exibem uma série de características igualmente improváveis que nos dão razão para sermos “suspeitosos”. Aqui estão apenas quatro das muitas maneiras que nosso planeta está ajustado para a vida:

A relação da Terra com o Sol é favorável à vida:
A Terra orbita o sol dentro de uma “zona habitável” que é altamente estatisticamente improvável para um planeta. Se a Terra estivesse um pouco mais distante – ou um pouco mais perto – do sol, seria impossível um ciclo estável da água. Além disso, pequenas mudanças na inclinação orbital do nosso planeta, ou pequenas variações na inclinação do eixo da Terra, não permitiriam nosso clima. O comprimento da rotação também é importante. Se a Terra fosse mais lenta, nossos dias seriam muito quentes e nossas noites muito frias para sustentar a vida; mais curto, e as velocidades do vento seriam muito extremas.

As condições atmosféricas da Terra são favoráveis à vida:
A gravidade superficial da Terra é fundamental para sua capacidade de reter uma atmosfera amigável à vida. Se a gravidade da Terra fosse mais forte, nossa atmosfera conteria muito metano e amônia. Se a gravidade do nosso planeta fosse mais fraca, a Terra não seria capaz de reter água suficiente. Do jeito que está, a atmosfera da Terra tem uma proporção bem calibrada de oxigênio para nitrogênio – suficiente dióxido de carbono e níveis adequados de vapor d’água para promover vida avançada, permitir a fotossíntese (sem um efeito estufa excessivo) e permitir chuvas suficientes.

A natureza terrestre da Terra é favorável à vida:
A espessura da crosta terrestre deve estar dentro de uma faixa específica para suportar a vida. Uma crosta mais espessa impactaria negativamente a quantidade de oxigênio em nossa atmosfera; uma crosta mais fina resultaria em atividade vulcânica excessiva e placas tectônicas instáveis. De fato, a crosta terrestre permite uma atividade sísmica limitada, resultando na reciclagem de nutrientes e liberação de dióxido de carbono sem destruir toda a vida no planeta. As concentrações de nutrientes e minerais da crosta terrestre também estão dentro dos limites de vida.

O relacionamento da Terra com a Lua é favorável à vida:
Enquanto outros planetas têm uma lua em órbita; o nosso é fundamental para a nossa existência. Nossa Lua grande é do tamanho certo para estabilizar a órbita e a rotação da Terra, limitando as variações em nosso clima e temperatura. Sem uma grande lua, o eixo do nosso planeta provavelmente teria cambaleado dramaticamente – talvez em até 90 graus. O papel da lua não pode ser subestimado. O astrônomo Donald Brownlee e o paleontólogo Peter Ward escrevem: “Sem a Lua não haveria raios de luar, nem mês, nem loucura [1], nem programa Apolo, menos poesia e um mundo onde todas as noites eram escuras e sombrias. Sem a Lua, também é provável que nenhum pássaro, sequoia, baleia, trilobita ou outra vida avançada agraciaria a Terra ”.

Ilustrações de God’s Crime Scene

Como a cena da morte que investiguei, as camadas de evidências fundacionais, regionais e locacionais do universo mostram sinais de “adulteração”. As forças que governam a estrutura atômica, a matéria do universo e a criação de substâncias químicas são convenientemente alinhadas para permitir a existência da vida. . Mesmo pequenas mudanças nessas forças têm conseqüências desastrosas para a vida. Da mesma forma existem faixas estreitas relacionadas à nossa galáxia e planeta. Embora a aparência de ajuste fino em qualquer um desses parâmetros cósmicos possa não ser tão atraente, a natureza cumulativa dessas condições nos obriga a buscar uma explicação.

O aparecimento do ajuste fino no universo é parte de um caso cumulativo esmagador para a existência de Deus. Click To Tweet

Aqueles que procuram explicar este ajuste fino sem invocar a existência de um Designer, ou (1) negam a necessidade de ajuste fino relacionado ao surgimento da vida, (2) argumentam que o ajuste fino é o resultado do acaso ou necessidade física, ou (3) tenta, explicar o ajuste fino como um simples “fenômeno observacional”. No God’s Crime Scene, eu demonstro (em detalhes) por que essas explicações naturalistas não levam em conta as evidências. O aparecimento do ajuste fino no universo é parte de um caso cumulativo esmagador para a existência de Deus. Para mais informações sobre o ajuste fino do universo, por favor, veja o capítulo dois do God’s Crime Scene – Tampering With the Evidence: Who Is Responsible?

[1] No inglês: “lunacy”.
[2] Livro do autor deste artigo.

J. Warner Wallace é um detetive de casos de homicído arquivadosdefensor do Cristianismo, pesquisador sênior do Colson Center for Christian Worldview, professor associado de apologética na Universidade de Biola e autor de Cristianismo Cold-Case , Cena do crime de Deus, e Fé Forense.

Mais artigos em português AQUI. Leia a tradução original AQUI.

Check Also

Quick Shot: “There is no such thing as sin”

Our “Quick Shot” series offers brief answers to common objections to the Christian worldview. Each …