Quatro Afirmações “Auto Refutantes” Ouvidas em Faculdades ao Redor do Mundo

Print Friendly, PDF & Email

Four Self-Refuting Statements Heard on College Campuses Across America

Se eu começasse esse post dizendo “Não consigo escrever uma palavra sequer em português”, você provavelmente enxergaria a contradição. A minha frase trai a sua própria afirmação, não é? Tal é a natureza das afirmações que refutam a si mesmas. A Wikipedia define tais declarações como “afirmações cuja falsidade é a consequência lógica do ato ou situação que as torna verdade.” Você se surpreenderia com a frequência com a qual pessoas costumam dizer algo que se auto refuta, mas há uma variedade de afirmações comuns que ouvimos (ou usamos) todo dia que caem nessa categoria.

“Não me incomode, estou dormindo.”
“Eu não vou responder isso.”
“Não posso falar com você agora.”

Há momentos em que nossas palavras caem sob seu próprio peso. Click To Tweet

Há momentos em que nossas palavras caem sob seu próprio peso. Ao treinar cristãos na faixa etária da universidade ao redor do país e ouvir atentamente às suas experiências do cotidiano, comecei a reunir algumas das afirmações “auto refutantes” ditas por professores universitários. Aqui estão as quatro principais:

“Não há verdade objetiva” / “Uma verdade objetiva não existe”
Talvez a mais obviamente auto refutante de todas, essa afirmação (ou alguma parecida) ainda é mencionada em muitos cenários de universidades, de acordo com os alunos que treino. Assim como todas as afirmações auto refutantes, ela pode ser verificada simplesmente ao aplicá-la a si mesma. Ao perguntar “Essa afirmação é uma verdade objetiva?”, vemos rapidamente que a pessoa que a afirma crê que há pelo menos uma verdade objetiva: que não há verdade objetiva. Você enxerga o problema?

“Se uma verdade objetiva existe, não há quem possa saber com certeza qual seja” / “É arrogância assumir que você conhece a verdade com certeza”
Novamente, o professor que faz tal afirmação parece estar confiante e certo de uma verdade: que não há uma pessoa sequer que possa estar certo ou confiante da verdade! Essa afirmação cai sobre a própria espada no momento em que é dita.

“A ciência é a única maneira de determinar a verdade” / “Só confio naquilo que posso determinar por meio do método científico”
Meus alunos relatam essa com frequência, e ela talvez precise de um pouco mais de atenção para ser identifica como auto refutante. Quando um professor a afirma, devemos apenas perguntar: “A ciência pode comprovar se essa afirmação (a respeito da ciência) é verdade” ou “Qual foi o experimento científico que lhe apontou esse resultado?” A verdade é que não há um método ou processo científico pelo qual pode-se validar essa afirmação. É uma afirmação filosófica presumida que está fora do campo de análise da ciência.

“Presumir que a sua visão é melhor do que a do próximo é intolerância” / “A tolerância requer que nós aceitemos todas as visões igualmente”
Há uma afirmação ainda mais auto refutante escondida nessa frequente definição errônea do que seja tolerância. Pessoas que crêem nessa visão corrupta dizem que aceitam toda e qualquer visão como sendo igualmente verdadeira. Mas se você afirmar que algumas ideias são evidentemente falsas e têm valor inferior a outras, sua afirmação será rejeitada. Ou seja, elas aceitarão qualquer visão como sendo de valor equivalente, menos a sua afirmação de que algumas visões não são de igual valor. Dá para enxergar a incoerência? Aqueles que adotam essa definição de tolerância não podem implementar de maneira coerente a sua própria visão de tolerância.

Essa última afirmação a respeito da tolerância talvez seja o futuro campo de batalha da auto refutação. A maioria de nós cristãos reconhece essa afirmação e já foram acusados de intolerância uma hora ou outra. As afirmações exclusivistas do cristianismo referentes à salvação (somente por meio da fé em Cristo) nos colocam no centro do alvo de tal crítica.

J. Warner Wallace é um detetive de casos de homicído arquivadosdefensor do Cristianismo, pesquisador sênior do Colson Center for Christian Worldview, professor associado de apologética na Universidade de Biola e autor de Cristianismo Cold-Case , Cena do crime de Deus, e Fé Forense.

Mais artigos em português AQUI. Leia a tradução original AQUI.

Check Also

Lessons in Evangelism (and Christian Case Making) from the Life of Roadies

A few years back I taught three services at Liquid Church in Morristown, New Jersey. …