O Evangelho de João Pode Ter Sido o Último, Mas Não Foi Tardio

Print Friendly, PDF & Email

John’s Gospel May Have Been Last, But It Wasn’t Late

Acredita-se que este texto do Novo Testamento foi escrito depois dos outros evangelhos (Marcos, Mateus e Lucas). Eu acho que existem várias boas razões para aceitar essa afirmação, dadas as evidências históricas e textuais:

Os Pais da Igreja Disseram Que o Evangelho de João Veio Por Último
O bispo do primeiro século, Clemente de Roma, testificou que o Evangelho de João foi escrito depois dos outros evangelhos (de acordo com História Eclesiástica do Eusébio, Livro 4, Capítulo 14.7), e Irineu, o antigo bispo de Lungduno, também afirmou que este é o caso (veja Contra as Heresias, Livro 3, Capítulo 1). Os Pais da Igreja tardio (como Orígenes, Eusébio e Jerônimo) repetiram esta afirmação.

João Escreveu Como Se o Leitor Já Conhecesse os Apóstolos
Nos “Evangelhos Sinóticos”, (os evangelhos de Marcos, Mateus e Lucas recontando eventos de um ponto de vista similar), os discípulos são nomeados e descritos conforme são introduzidos pela primeira vez na narrativa. João, por outro lado, raramente dedica tempo para fornecer qualquer detalhe sobre cada seguidor de Jesus, à medida que os apresenta em seu relato. Em João 6:67, por exemplo, João escreve sobre os “doze” como um subconjunto especial do grupo maior de discípulos, mas ele o faz sem descrever quem precisamente faz parte desse grupo ou por que eles são únicos relacionados aos outros seguidores. . João escreve como se esta informação já estivesse disponível para seus leitores (nos evangelhos que o precederam).

João Escreveu Como Se Seus Leitores Já Soubessem Sobre João o Batista
De maneira semelhante, João escreveu para o público como se já soubessem muito sobre João o Batista. Por exemplo, o apóstolo nunca se refere à prima de Jesus como João “o Batista”. Em vez disso, o apóstolo simplesmente o chama de “João” como se seus leitores já soubessem sobre o primo de Jesus. Além disso, os detalhes que cercam a morte de João o Batista nunca são descritos. Em vez disso, em um ponto da narrativa, o apóstolo João simplesmente escreve que João Batista “João ainda não havia sido preso” (João 3:24) como se seus leitores já estivessem familiarizados com a prisão e execução de João Batista como registrado nos outros evangelhos.

Os Outros Autores dos Evangelhos Não Parecem Conhecer Sobre o Evangelho de João
Embora os Evangelhos Sinóticos contenham informações paralelas (como se estivessem cientes dos relatos uns dos outros), nenhum desses textos contém informações que parecem ter vindo do Evangelho de João. Embora pareça que Marcos, Mateus e Lucas consultaram um ao outro, nada em seus relatos revela qualquer conhecimento do texto de João. Isso faz sentido se o Evangelho de João fosse escrito depois dos outros três.

Há boas razões para aceitar a afirmação de que João escreveu seu relato depois que os outros relatos do evangelho já haviam sido escritas. Mas isso significa que foi escrito no final da história? Não há muitas gerações, estudiosos céticos da “Escola de Tübingen”, no sul da Alemanha, argumentaram que o Evangelho de João foi escrito no final do segundo século (cerca de 175 d.C.). Se isso for verdade, o evangelho não poderia ter sido escrito pelo apóstolo João ou por qualquer outra pessoa que realmente tenha testemunhado a vida e o ministério de Jesus de Nazaré. Curiosamente, os estudiosos modernos do Novo Testamento são quase unânimes em datar o Evangelho de João muito antes.

Aqui está um breve resumo das evidências que estabelecem a datação mais cedo do Evangelho de João Click To Tweet

Eu também acredito que este evangelho foi escrito cedo; durante a vida das pessoas que testemunharam os eventos que registra. Isso é importante, porque a datação inicial dos Evangelhos ajuda a estabelecer sua confiabilidade como relatos de testemunhas oculares. Aqui está um breve resumo das evidências que estabelecem a datação mais cedo do Evangelho de João:

João Não Descreve o Discurso do Monte das Oliveiras
O Evangelho de João está faltando o discurso do Monte das Oliveiras, a passagem bíblica (encontrada em todos os outros evangelhos: Mateus 24, Marcos 13 e Lucas 21), na qual Jesus prediz a destruição do Templo. Se João estava ciente da queda de Jerusalém e da destruição do Templo Judaico (que ocorreu em 70 d.C.), faz sentido que ele teria incluído as previsões de Jesus a esse respeito como ponto de ênfase.

João Falha em Mencionar a Destruição do Templo
João também não menciona o cerco de Jerusalém, o saque da cidade ou a destruição do templo judeu, que cumpriu todas as previsões de Jesus. Outros escritores antigos, conhecidos por terem escrito após 70 d.C., incluem uma descrição da destruição do Templo. A Epístola de Barnabé (tradicionalmente atribuída aos Barnabé mencionado o Livro de Atos), por exemplo, refere-se à demolição do Templo (Capítulo 16, versículos 3 e 4). Se os autores que escrevem depois de 70 d.C. incluírem uma descrição da destruição do Templo, é ainda mais razoável inferir que o Evangelho de João (sem a descrição) foi escrito antes desta data.

João Usa Termos e Títulos Primitivos
João usa palavras em seu texto que são consistentes com os primeiros anos do cristianismo. Por exemplo, João nunca chama os seguidores mais próximos de “apóstolos” de Jesus (como Lucas faz no livro de Atos). Em vez disso, João se refere a eles com o termo anterior, “discípulos”.

João Refere-se ao Tanque de Betesda de Uma Maneira Particular
No capítulo 5, verso 2, João escreve, “Existe ali, junto ao Portão das Ovelhas, um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco pórticos.” João usou a palavra do tempo presente (ἐστιν) ao descrever a existência do tanque, mas o tanque foi destruído em 70 d.C., quando Jerusalém foi saqueada pelos romanos. João também forneceu muito poucos detalhes nesta passagem, ao descrever a cura do enfermo. Quando Jesus pergunta se ele quer ser curado, o enfermo simplesmente responde, “Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada. Quando tento entrar, outro enfermo chega antes de mim.” (veja João 5:6-7). João nunca descreveu por que as águas foram agitadas, no entanto, e isso evidentemente causou confusão para os leitores nas décadas seguintes. De fato, escribas acabaram acrescentando informações para esclarecer a situação (a adição do verso 3 explica que as águas foram agitadas por anjos). João parece ter escrito essa passagem muito cedo (como alguém que conhecia intimamente Jerusalém) para pessoas que estavam familiarizadas com o tanque.

O Evangelho de João é Similar com os “Manuscritos do Mar Morto” do Primeiro Século
Os estudiosos observam paralelos textuais e conceituais entre o Evangelho de João e alguns dos antigos “Manuscritos do Mar Morto” do primeiro século (quase 1,000 pergaminhos antigos foram descobertos em cavernas perto de Khirbet Qumran, no deserto da Judéia oriental). Tanto o Evangelho de João como os pergaminhos (conhecidos por terem sido escritos no primeiro século) refletem fortes semelhanças temáticas (particularmente relacionadas ao “dualismo”, “predestinação” e expectativas messiânicas).

Evidência do Papiro Confirma Uma Data Antecipada Para o Evangelho de João
Em 1934, enquanto examinava fragmentos de papiros não catalogados no John Rylands Library at the University of Manchester, o erudito britânico, C. H. Roberts, descobriu um papiro contendo partes de João, capítulo 18. Os estudiosos do Novo Testamento datam deste fragmento aproximadamente a 125 d.C., e ninguém acredita que isso seja parte do documento original do evangelho. De fato, o fragmento vem do Egito. Estudiosos admitem que teria levado várias décadas para o Evangelho ter sido escrito, copiado, passado de uma comunidade para outra, transportado pelo continente e finalmente enterrado no Egito. Isso colocaria a autoria original do documento várias décadas antes de 125 d.C.

Evidências de Documentos Confirmam Uma Data Antecipada Para o Evangelho de João
O Papiro Egerton 2 é uma coleção de três fragmentos de papiros, datados certa vez de aproximadamente 150 d.C. Estes fragmentos descrevem eventos encontrados em todos os quatro evangelhos, incluindo uma narrativa semelhante a João 5:39-47. Isso não seria possível, a menos que o Evangelho de João fosse escrito com antecedência suficiente para estar disponível para o(s) autor(es) deste documento. Além disso, o Fragmento Muratoriano, contendo informações datadas de aproximadamente 180 d.C., descreve a origem do Evangelho de João e parece dar como certo que os “companheiros discípulos” (incluindo o apóstolo André) ainda estavam vivos e presentes com João quando ele escreveu seu relato. Isso também argumentaria para uma data antecipada de autoria. Finalmente, um conjunto de primeiras introduções aos Evangelhos, conhecido como Prólogo Anti-Marcionita (escrito a partir de 150 d.C.), cita Papias como a fonte para a afirmação de que “o Evangelho de João foi revelado e dado às igrejas por João enquanto ainda estava no corpo (ênfase minha).”

O Evangelho de João parece razoavelmente ter sido escrito depois dos outros evangelhos e antes de 70 d.C. Click To Tweet

O Evangelho de João parece razoavelmente ter sido escrito depois dos outros evangelhos e antes de 70 d.C. Uma pista para estreitar a datação do texto pode estar presente no final do Evangelho de João. No capítulo 21 de João, encontramos a seguinte passagem (versículos 20-23):

‘Então Pedro, voltando-se, viu que o discípulo a quem Jesus amava vinha seguindo; era o mesmo que na ceia havia se reclinado sobre o peito de Jesus para perguntar: “Senhor, quem é o traidor?” Ao vê-lo, Pedro perguntou a Jesus: — E quanto a este? Jesus respondeu: — Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que você tem com isso? Quanto a você, siga-me. Então se espalhou entre os irmãos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Ora, Jesus não tinha dito que tal discípulo não morreria, mas: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que você tem com isso?” ‘

Nesta passagem, João parece estar ciente do fato de que Pedro já estava morto (Pedro foi martirizado em aproximadamente 64 d.C.), pois sentiu a necessidade de explicar melhor essa afirmação de Jesus. Se esse for o caso, poderíamos razoavelmente datar a autoria do Evangelho de João para um período de tempo entre 64 e 70 d.C. Embora o Evangelho de João possa ter sido escrito depois dos outros Evangelhos, foi cedo o suficiente para ter sido escrito pelo próprio Apóstolo, um homem que viu os eventos em primeira mão e os registrou durante a vida daqueles que sabiam se ele estava mentindo.

J. Warner Wallace é um detetive de casos de homicído arquivadosdefensor do Cristianismo, pesquisador sênior do Colson Center for Christian Worldview, professor associado de apologética na Universidade de Biola e autor de Cristianismo Cold-Case , Cena do crime de Deus, e Fé Forense.

Mais artigos em português AQUI. Leia a tradução original AQUI.

Check Also

I’m Not A Christian Because It Works for Me

At the age of thirty-five, it seemed like I had everything I could possibly want. …