O Caso da Historicidade e Divindade de Jesus (Resumo)

Print Friendly, PDF & Email

The Case of the Historicity and Divinity of Jesus (Summary)

Em um mundo cheio de pessoas céticas sobre as alegações da Bíblia relacionadas a Jesus, às vezes é útil rever o caso cumulativo da historicidade e divindade de Cristo. Como todos os casos coletivos, o poder do argumento repousa sobre a montagem robusta de evidências históricas. Eu juntei algumas delas neste post de blog e criei um “insert” bíblico (um resumo para impressão de meia folha que se encaixa na sua Bíblia) para ajudá-lo a lembrar do caso:

The cumulative case of Jesus' historicity and divinity is convincing when viewed in its entirety. This brief miniature sketch is a useful reminder: the Christian worldview is evidently verifiable. Click To Tweet

Antigos historiadores não-cristãos concordaram que Jesus viveu
Antigos historiadores “pagãos” escreveram sobre Jesus e seus seguidores e as declarações desses historiadores e escritores corroboram as afirmações da Bíblia relacionadas a Jesus:

(1) O registro histórico de Talo (52 d.C.)
(2) O Registro Histórico de Plínio, o Jovem (61-113 d.C.)
(3) O Registro Histórico de Suetônio (69-140 d.C.)
(4) O Registro Histórico de Tácito (56-120 d.C.)
(5) O registro histórico de Mara Bar-Serapião (70 d.C.)
(6) O registro histórico de Flegão (80-140 d.C.)
(7) O registro histórico de Luciano de Samosata: (115-200 d.C.)
(8) O registro histórico de Celso (175 d.C.)

Historiadores judeus antigos concordam que Jesus viveu
Embora a maioria dos relatos judaicos antigos de Jesus sejam hostis, eles ainda afirmam muito sobre a historicidade de Jesus, mesmo quando tentam difamar Seu caráter:

(1) O registro histórico de Josefo (37-101 d.C.)
(2) O registro histórico do Talmude judaico (400-700 d.C.)
(3) O registro histórico do Toledot Yeshu (1000 d.C.)

Jesus reivindicou ser Deus
Enquanto alguns céticos negam que Jesus alguma vez se identificou como Deus para sua audiência do primeiro século, a evidência demonstra exatamente o oposto:

(1) Ele prefaciava suas declarações como se Ele fosse Deus (Mateus 5:18)
(2) Ele identificou-se com o próprio nome de Deus: “Eu Sou” (João 8:49-58)
(3) Ele falou como se fosse igual a Deus (João 14:6-9)
(4) Ele disse que ele e Deus eram Um (João 10:25-29)

Jesus demonstrou que tinha a natureza de Deus
Jesus possuía uma autoridade única com aqueles que o conheciam; uma autoridade que excedia em muito a de outros rabinos importantes. A autoridade de Jesus foi baseada em sua divindade:

(1) Ele demonstrou onisciência (João 4:16-30)
(2) Ele demonstrou onipresença (Mateus 28:20)
(3) Ele demonstrou a onipotência (João 11:38-44, Marcos 6:48)

Jesus foi adorado como Deus por aqueles que o conheciam
Em uma cultura judaica do primeiro século que rejeitava a adoração de alguém (ou qualquer outra coisa) que não o único Deus verdadeiro, Jesus foi repetidamente adorado por aqueles que o encontraram:

(1) Os sábios adoraram-no no seu nascimento (Mateus 2:10-12)
(2) O leproso O adorou em sua cura (Mateus 8:2)
(3) O governante da sinagoga o adorou (Mateus 9:18-19)
(4) Os discípulos o adoraram no barco (Mateus 14:32-33)
(5) A mãe de Tiago e João o adorou (Mateus 20:20-21)
(6) O cego adorou-o em sua cura (João 9:35-38)
(7) As mulheres o adoraram no túmulo vazio (Mateus 28:8-10)

Jesus cumpriu profecias messiânicas do Antigo Testamento
Os discípulos e as primeiras testemunhas de Jesus ficaram repetidamente impressionados com o número de maneiras pelas quais Jesus cumpriu a profecia do Antigo Testamento relacionada à vinda do Messias:

(1) O Messias aparecerá depois que os judeus retornarem a Israel (Jeremias 23:3-6)
(2) O Messias nasceria em Belém (Miqueias 5:2)
(3) O Messias seria precedido por um mensageiro (Isaías 40:3)
(4) O Messias entraria em Jerusalém enquanto andava em um jumento (Zacarias 9:9)
(5) O Messias sofreria e seria rejeitado (Isaías 53:3)
(6) O Messias seria traído por 30 moedas de prata (Zacarias 11:12-13)
(7) O Messias seria silencioso diante de seus acusadores (Isaías 53:7)
(8) O Messias seria ferido, chicoteado e crucificado (Isaías 53:5)

O caso cumulativo da historicidade e divindade de Jesus é convincente quando visto em sua totalidade. Esse breve esboço de miniatura é um lembrete útil: a cosmovisão cristã é evidentemente verificável.

J. Warner Wallace é um detetive de casos de homicído arquivadosdefensor do Cristianismo, pesquisador sênior do Colson Center for Christian Worldview, professor associado de apologética na Universidade de Biola e autor de Cristianismo Cold-Case , Cena do crime de Deus, e Fé Forense.

Mais artigos em português AQUI. Leia a tradução original AQUI.

Check Also

Deus é Real? Deus é a Melhor Explicação Para as Leis Morais Objetivas

Is God Real? God Is the Best Explanation for Objective Moral Laws Vivemos em um …